Cursos 24 Horas - Cursos 100% Online com Certificado
Cursos Online com Certificado - Cursos 24 Horas - Matricule-se!

Desconto Especial para Fãs do PIGN - Lojas Renner

B02 - 468x60 calças

sexta-feira, 2 de junho de 2017

Absurdo: Bispo (o codinome de seres medievais e parasitas que vivem do suor alheio) sugere que mulheres só são estupradas quando querem

Essa é a carcaça medieval, luiz gonzaga bergonzini, no minúsculo de homúnculo

Bispo de Guarulhos, Luiz Gonzaga Bergonzini, diz que mulheres mentem ao dizer que foram estupradas. Ele acusa que a mentira seria apenas para conseguir liberação da lei para pratica do aborto.

Leiam um verdadeiro esgoto fluindo de uma boca que não tem nada a dizer a ninguém, muito menos as mulheres em geral já que eles representam, entre outras, os maiores casos de pedofilia pelo mundo.

“Vamos admitir até que a mulher tenha sido violentada, que foi vítima… É muito difícil uma violência sem o consentimento da mulher, é difícil”, comenta. O bispo ajeita os cabelos e o crucifixo. “Já vi muitos casos que não posso citar aqui. Tenho 52 anos de padre… Há os casos em que não é bem violência… [A mulher diz] ‘Não queria, não queria, mas aconteceu…'”, diz. “Então sabe o que eu fazia?” Nesse momento, o bispo pega a tampa da caneta da repórter e mostra como conversava com mulheres. “Eu falava: bota aqui”, pedindo, em seguida, para a repórter encaixar o cilindro da caneta no orifício da tampa. O bispo começa a mexer a mão, evitando o encaixe. “Entendeu, né? Tem casos assim., do ‘ah, não queria, não queria, mas acabei deixando’. O BO é para não facilitar o aborto”, diz.

A posição do bíspo é um uma tentativa de dificultar o aborto nas cidades da grande São Paulo.

 

Um comentário:

  1. O cara ta certo.E não somente as mulheres. Os garotos vão à igreja e se oferecem aos padres, verdadeiras vítimas do pecado... (IRONIA, TÁ?)

    ResponderExcluir

1) Dê a sua opinião, qualquer que seja
2) Respeite a opinião alheia, qualquer que seja
3) Mantenha-se no tema
4) Mantenha-se no campo dos argumentos
5) Não ofenda os demais participantes (isso inclui o jornalista)
6) Não incite a violência, a intolerância ou o preconceito contra ninguém, sob nenhum pretexto
7) Não use caixa alta. No mundo virtual, isso é grito
8) Idealmente, procure usar argumentos que não foram dados previamente ao longo da discussão
9) O comentarista tem a responsabilidade legal sobre o que escreveu. Use seu comentário com inteligência.